Introdução

As sociedades atuais e os grandes centros urbanos, devido à sua estrutura e realidade social, estão sujeitos a determinadas vulnerabilidades que podem comprometer e pôr em causa a qualidade de vida dos cidadãos, especialmente das crianças e jovens, levando assim à adoção de comportamentos de risco. Ao longo dos anos, têm sido recolhidos dados que refletem um conjunto de problemáticas existentes na Cidade, às quais importa dar resposta fomentando estratégias que visem a promoção de hábitos e estilos de vida saudáveis, bem como a redução de riscos e minimização de danos, ao nível da prevenção indicada na área dos consumos

A reorganização administrativa da Cidade de Lisboa obedece a uma estratégia de modernização e de adaptação do modelo do governo da cidade, apoiada nos princípios de descentralização administrativa, através de um modelo específico de distribuição de tarefas e responsabilidades entre os órgãos municipais e os órgãos das freguesias.

Pretende-se com esta descentralização administrativa que as juntas de freguesia possam em matéria de ação promover projetos que visem o desenvolvimento integral das crianças e jovens, desenvolvendo competências pessoais e sociais, bem como estratégias de socialização que lhes permitam fomentar a autonomia, a responsabilização, a participação ativa e a tomada de decisão para que se minimizem os comportamentos de risco nas crianças e jovens.

O desenho de uma intervenção preventiva deve contemplar novos fatores de risco, tendências, padrões de consumo e outros comportamentos. É nesta ótica, que a autarquia disponibiliza linhas orientadoras às Juntas de Freguesia que queiram trabalhar no âmbito da:

• Prevenção de comportamentos de risco
• Promoção de hábitos de vida saudáveis
• Redução de riscos e minimização dos danos
• Promoção e a articulação do trabalho interinstitucional em rede
• Promoção de um trabalho de rua e de proximidade
• Monitorização e acompanhamento de projetos de intervenção

REDUÇÃO DE RISCOS E MINIMIZAÇÃO DE DANOS (RRMD)
A abordagem da Redução de Riscos e Minimização de Danos (RRMD), foi concebida para intervir junto de consumidores, de droga, cujo tratamento não era acessível ou não estava nas suas prioridades.
O procedimento no terreno é realizado através de técnicos com formação adequada, focalizados numa população com as mais diferentes características em termos de história pessoal e de consumos, investindo numa abordagem de proximidade.

O objetivo é chegar aos consumidores que não conseguem/não querem deixar de consumir, fornecendo-lhes informação no âmbito da redução de riscos e danos relativamente a hábitos de consumo, de doenças transmissíveis e projeto de vida pessoal.

No âmbito da Redução de Riscos e Minimização de Danos, a CML promove o Projeto Perto LX.

Para mais informações sobre estas temáticas pode consultar os seguintes Links:
Serviço de Intervenção em Comportamentos Aditivos e Dependências - SICAD
Prevenção
Intervenção Preventiva
Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT)
Prevention Evaluation Resource Kit (PERK)
Portal Boas Práticas do OEDT
Office of Juvenile Justice and Delinquency Prevention (OJJDP) - EUA