*
Candidatura a programa da UNICEF
Lisboa apresenta plano para ser “Cidade Amiga das Crianças”
01-06-2017
Amanhã, Dia Mundial da Criança, às 11h00, na Casa dos Direitos Sociais (R. Ferreira de Castro)

Lisboa quer ser uma “Cidade Amiga das Crianças” e candidatou-se a este programa da UNICEF em 2016. O Plano de Acção que está a ser ultimado para esta candidatura vai amanhã ser apresentado na Casa dos Direitos Sociais, a propósito do Dia Mundial da Criança. Uma sessão em que as crianças e jovens não podiam deixar de ser ouvidas para dar as suas perpectivas e assim dizer como Lisboa se pode tornar cada vez mais amiga destas faixas etárias. Começar pelos Direitos das Crianças é dar mais cor e fazer crescer a cidade que queremos para o futuro de todas as pessoas.

Entre 2001 e 2011 (ano do último Censos), a população infantil (0-14 anos) registou um aumento de 9,4%. A freguesia com população mais jovem é Parque das Nações (20%), seguida de Santa Clara, Lumiar, Carnide e Belém. Por outro lado, a área com menor percentagem de crianças é Santa Maria Maior. Quanto aos jovens, entre os 15-19 anos, verifica-se que existem em maior número em Santa Clara (12,3%), Marvila, Carnide e Lumiar. Já São Vicente é aquela freguesia onde são em menor número os elementos desta faixa etária.

Os dados são do II Diagnóstico Social de Lisboa 2015-2016, e a eles se juntaram informações sobre estruturas de ensino, crianças e jovens em risco na cidade, elementos informativos sobre as famílias, ou habitação. Em conjunto, todos estes elementos que dizem respeito a estas faixas etárias na cidade serviram para elaborar o Plano de Acção Local do Município para a candidatura que fez a Cidade Amiga das Crianças, junto da UNICEF, em abril passado.

Os objetivos desta candidatura passam por começar a garantir a participação efetiva das crianças na vida comunitária e a apropriação das suas opiniões e propostas nas medidas e políticas municipais. O Plano quer igualmente assegurar a qualidade de vida e bem-estar dos mais novos, e, ainda, contribuir para a melhoria dos serviços e equipamentos da cidade dirigidos às crianças e às famílias.

São seis os eixos estratégicos que, amanhã, serão apresentados na sessão em que, assinalando o Dia Internacional da Criança, se vão explanar as diversas dimensões estratégicas do Plano de Acão. Numa conversa em que os mais novos não podiam deixar de ter a palavra principal, participando na sessão um grupo de jovens da Casa da Obra do Ardina (ver programa completo), que se vão pronunciar sobre quais são, na sua perspectiva, as prioridades de intervenção para tornar Lisboa numa cidade (mais) amiga das crianças.

Casa dos Direitos Sociais / 1 de junho de 2017

11h - Recepção aos participantes

11h20 - Abertura - Vereador dos Direitos Sociais, João Afonso

Painel moderado por Marta Clemente (jornalista)

Apresentação do Plano de Ação Local - Lisboa, Cidade Amiga das Crianças
Célia Tereso, Coordenadora do Grupo de Trabalho Cidade Amiga das Crianças

A participação infantil na vida da cidade
Catarina Tomás, Escola Superior de Educação de Lisboa

As prioridades de intervenção na cidade, do ponto de vista das crianças e jovens
Grupo de jovens da Casa da Obra do Ardina

13h - Encerramento
Vereador dos Direitos Sociais, Arq. João Afonso