*
*
*
*
27 contratos-programa para intervenção social.
05-06-2015 CML/CH

Dia 4 de junho, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, o vereador dos Direitos Sociais, João Afonso, assinou 27 contratos-programa com entidades que atuam em diversas áreas de intervenção social. Os acordos abrangem áreas como comportamentos de risco, proteção de crianças e jovens, deficiência, desenvolvimento comunitário, famílias, idosos, igualdade, interculturalidade, saúde e sem abrigo.Veja aqui o video

De entre as 79 entidades que se candidataram, a câmara apoia 27 propostas, num total de um milhão e 150 mil euros, atribuídos ao abrigo do RAAML - Regulamento de Atribuição de Apoios do Município de Lisboa, explicou João Afonso, convicto que a assinatura destes acordos vai ajudar milhares de pessoas que precisam de apoio. São medidas necessárias mas que só a própria comunidade, através das suas associações, consegue desenvolver, acrescentou o vereador.

Segundo os dados apresentados prevê-se que cerca de dez mil pessoas sejam abrangidas por cuidados primários de saúde, 1.500 sejam apoiadas por projetos de minimização de riscos e a realização de 1 300 rastreios de VIH sida, hipertensão arterial e diabetes.

Será ainda prestado apoio domiciliário a 9 460 idosos e a 200 cuidadores, num acompanhamento a 120 famílias em situação de dependência e solidão dos idosos. Quanto aos sem abrigo, estão previstos mais de dois mil atendimentos psicossociais, mil e cem contactos além da colocação de 36 cacifos (atualmente são 12). Cinco mil e trezentas pessoas irão beneficiar de novos projetos de desenvolvimento comunitário e serão realizados dois campos de férias residenciais para 80 crianças e jovens.

Na saúde, está previsto o acompanhamento individualizado a 85 pessoas, a realização de cerca de 6 mil rastreios e que a Operação Nariz Vermelho alcance mais de 16 mil crianças.

Desenvolver o trabalho de investigação sobre homossexualidade e envelhecimento, criar um gabinete de apoio responsável pela promoção de sessões de prevenção e fazer a promoção de competências parentais a 24 famílias são outros projetos previstos.