Fórum Municipal da Interculturalidade 2015
02-06-2015 CML/CH

Decorreu, no dia 31 de maio, na Praça de S. Paulo, o Fórum da Interculturalidade, integrado nas Festas da Lisboa. Mas este fórum não consistiu apenas em debates: a praça, enquadrada por quiosques de diversas associações promoção da multicultural ou de imigrantes de diversas origens, foi animada com muita música, dança, desfiles de moda, poesia, contos, oficinas de expressão artística, mostras gastronómicas, ioga, capoeira, etc. Veja o video aqui

Depois de, durante a parte da manhã, ter acontecido o Festival de Língua e Cultura para Crianças e Jovens e Oficinas de Expressão Artística, a tarde acolheu duas sessões do debate "Migrantes, Atores do Desenvolvimento". Dando início aos debates, Joana Gomes Cardoso, da EGEAC, manifestou a sua satisfação pela inclusão deste evento nas Festas de Lisboa, e Carla Madeira, presidente da Junta de Freguesia da Misericórdia, enquanto anfitriã, agradeceu o apoio da Câmara Municipal de Lisboa na "promoção do diálogo intercultural" nesta freguesia que acolhe imigrantes de diversas origens que vêm a Lisboa fazer tratamento hospitalar, em pensões e quartos, por vezes em "condições sub-humanas", geradoras de fenómenos de abandono escolar entre as crianças e jovens.

Por seu lado, o vereador do pelouro dos Direitos Sociais da CML, João Afonso, agradeceu às associações que se integraram nesta iniciativa, ao Fórum Municipal da Interculturalidade e à Junta de Freguesia da Misericórdia estas iniciativas, "que promovem a interculturalidade e que fazem toda a diferença - breves festas mas que tudo significam para as diferentes comunidades". Para o autarca, estas ações são "um sinal para que os imigrantes sintam que são bem aceites, por cá fiquem e deixem de ser imigrantes". Entre os que marcaram presença neste debate contavam-se a presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, Helena Roseta, e o seu primeiro secretário, José Leitão, que preside à comissão deste órgão autárquico que acompanha as questões relacionadas com as comunidades imigrantes.

Diversas comunidades (do Brasil a Cabo Verde, da Índia à Turquia, passando por Moçambique, São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau) apresentaram os seus talentos, nomeadamente durante os concertos que se prolongaram durante o período da noite, sempre com muita afluência de público e muita animação.