*
*
*
*
*
Dia Municipal para a Igualdade comemorado a 24 de Outubro
26-10-2014 CML/CH

O Dia Municipal para a Igualdade foi comemorado, em 24 de outubro, pela Câmara Municipal de Lisboa, em conjunto com mais 33 concelhos de todo o país, de forma a alertar a sociedade em geral para um valor que é considerado um dos principais motores do desenvolvimento humano.
Um fórum sobre o tema e a homenagem a Maria de Lourdes Pintassilgo, a primeira e única mulher em Portugal a ocupar o cargo de primeira-ministra, assinalaram este dia.
Veja o video aqui

Liberdade e Igualdade

João Afonso, vereador dos Direitos Sociais da Câmara Municipal de Lisboa, esteve presente no Fórum “Conciliação. Tempo e Pessoas”, que decorreu no Museu do Fado. O autarca mostrou-se satisfeito com a criação deste Dia Municipal para a Igualdade, lembrando que numa cidade de pessoas e para as pessoas a igualdade deve ser promovida em cada rua e em cada bairro.
No ano em que se comemoram os quarenta anos do 25 de Abril, João Afonso frisou que as palavras “liberdade” e “ igualdade” não podem ser esquecidas, ainda que na sociedade atual não tenhamos atingido “a total liberdade ao nível da igualdade”, referindo, como exemplo, que apenas 24 das 308 câmaras municipais do país são lideradas por mulheres.
Segundo o vereador há que passar para a realidade os progressos alcançados. E uma das políticas deste executivo, afirmou, passa por colocar em prática os princípios do artigo 13º da Constituição da Republica Portuguesa, sendo o Plano Municipal de Igualdade, aprovado recentemente pela Assembleia Municipal de Lisboa, e o Plano Municipal de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género - em fase de conclusão - algumas das suas ferramentas essenciais.

Homenagem a Maria de Lourdes Pintassilgo

No Jardim dos Sabores, em Arroios, renasceu o rosto e o sorriso da mais igual de todas as iguais. Maria de Lourdes Pintassilgo, a única mulher que desempenhou o cargo de primeira-ministra em Portugal (chefiou o V Governo Constitucional, em funções de julho de 1979 a janeiro de 1980), foi homenageada numa sessão pública e simbólica, bastante participada.
Nascida em Abrantes, em 1930, Maria de Lourdes Pintassilgo cresceu em Lisboa, na freguesia de Arroios, onde veio a falecer em 2004. Engenheira química de formação, Pintassilgo sempre esteve ligada às causas sociais. “Prestamos homenagem a Maria de Lourdes Pintassilgo, escolhendo este pequeno jardim onde ela passou certamente milhares de vezes, a caminho da sua casa na Alameda de Santo António dos Capuchos”, lembrou Margarida Martins, presidente da freguesia de Arroios. “É uma homenagem simbólica pela sua natureza”, continuou a autarca, “mas triplamente simbólica pelo que a ela quisermos associar”. A “terra”, explicou, ao ser plantado no local um pequeno pinheiro, árvore que Pintassilgo adorava; um “banco”, enquanto abrigo de descanso e de pensamento; e a “imagem e descrição de uma mulher que lutou pelos direitos humanos e colocou, na agenda política, os direitos das mulheres”.
Perante uma assistência emocionada, Margarida Martins lembrou, ainda, uma citação de Lourdes Pintassilgo, retirada de uma “Carta aberta às mulheres do país de Abril”, escrita em 1975: “Não te espantes mulher do país de Abril. Ninguém te disse, mas eu conto-te (…) Falei de ti no dia 2 de março em Paris perante as mil mulheres francesas que ocupam funções de grande responsabilidade pública (…) Disse o que julgo que tu e eu queremos. Um país em que a sociedade conta mais do que o Estado, em que as relações entre as pessoas contam mais do que as relações de forças”.
João Afonso, vereador dos Direitos Sociais, afirmou, por sua vez, que esta homenagem é devida a uma mulher “inspiradora, que teve um papel fundamental na promoção da igualdade” em Portugal. E que o Dia Municipal da Igualdade deverá ser sempre assinalado “para que todos os dias possam ser dias da Igualdade”.