Propostas do Plano de Desenvolvimento Social de Lisboa hoje apresentadas:
Uma rede de cuidados continuados e uma incubadora social
23-07-2012

A criação de uma rede de cuidados continuados e de uma incubadora social são algumas das propostas previstas no Plano de Desenvolvimento Social de Lisboa(PDS), aprovado pela Rede Social de Lisboa e hoje apresentado ao Conselho Municipal para a Interculturalidade e a Cidadania.
Leia mais, clique no titulo

“Muitos dos projetos contemplados neste plano já existem ou já estavam pensados, mas entendemos que muitos deles podem ser melhorados ou resultar melhor se forem feitos em conjunto”, explicou a vereadora aos membros do Conselho, adiantando que o novo plano irá entrar em vigor no próximo ano e deverá estar concluído em 2015. Os membros do Conselho foram convidados a participar na acção do PDS relativa à interculturalidade, que irá ser coordenada pelo ACIDI. O novo plano, que irá entrar em vigor no próximo ano e que deverá estar concluído em 2015, foi esta tarde apresentado pela vereadora Helena Roseta, durante uma reunião do Conselho Municipal para a Interculturalidade e a Cidadania.
“Muitos dos projetos contemplados neste plano já existem ou já estavam pensados, mas entendemos que muitos deles podem ser melhorados ou resultar melhor se forem feitos em conjunto”, explicou a vereadora.

O PDS de Lisboa assenta em cinco desafios estratégicos que dizem respeito à organização das entidades que prestam serviço social, à gestão dos equipamentos sociais existentes, à melhoria dos cuidados de saúde, à aposta no empreendedorismo social e das redes de inovação social.

A aprovação do PDS ocorreu em 28 de Junho, na reunião plenária do Conselho Local de Acção Social de Lisboa, que reune 322 membros e que é presidido por uma Comissão Tripartida em que estão presentes a CML, a SCML e o Centro Distrital de Lisboa da Segurança Social.

Relativamente à gestão dos equipamentos sociais, a Câmara de Lisboa pretende criar e divulgar uma base de dados com o registo de todas as valências existentes na cidade para a infância e para os idosos.

“A todo o momento estão a surgir respostas novas e é necessário que essa informação chegue a todas as entidades”, explicou Helena Roseta.

No âmbito da melhoria dos cuidados de saúde, destaca-se a criação de um modelo de atendimento para as situações de saúde mental e de uma rede de cuidados continuados que será coordenado pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

“Neste momento, em Lisboa, não existe uma rede de cuidados continuados, o que para uma capital é impensável. Queremos que haja a garantia de uma rede de cuidados continuados que assegure a prestação de cuidados de saúde pós hospitalares, com apoio social quando necessário”, explicou.

A criação de uma incubadora social é outra das propostas previstas no PDS de Lisboa no âmbito do empreendedorismo social.

De acordo com Helena Roseta, a ideia é concentrar num determinado espaço da cidade um conjunto de entidades que “ofereçam respostas” na área do social.

O Plano de Desenvolvimento Social de Lisboa é composto na totalidade por 27 acções e conta com a participação de todos os membros da Rede Social de Lisboa, estimados actualmente em 322.

_Veja em baixo uma apresentação resumida do Plano de Desenvolvimento Social, bem como as 27 acções da Agenda Estratégica do PDS de Lisboa._

Documentos
Documento em formato application/pdf Apresentação do Plano de Desenvolvimento Social (PDS) de Lisboa 323 Kb
Documento em formato application/pdf Agenda Estratégica do PDS de Lisboa91 Kb